JOÃO SETTE WHITACKER


cidade do apartheid: reflexões sobre o plano diretor de são paulo (um longo post para ler com calma)

TEXTO DE JOÃO SETTE WHITACKER
Já disse aqui que pessoalmente não acredito muito em planos diretores. Acabam envolvendo um enorme esforço de técnicos bem intencionados, a mobilização de milhares de munícipes, disputas acirradas entre vereadores, mas no fim resultam num compendio de regras urbanísticas que ninguém segue, ou se segue, o faz apenas nas partes que interessam aos setores que transformaram nossas cidades em um palco exclusivo de negócios. Pior, concordo com o urbanista Flávio Villaça, que diz que os PDs servem como cortina de fumaça para dar a impressão que as cidades são democraticamente planejadas, enquanto por trás, na prática, os mesmos setores dominantes fazem o que querem com ela.